Um novo 2021 para o ano de 2020

No mês de março, depois do carnaval, estávamos trabalhando em um texto para o nosso blog falando sobre nossas previsões para o ano de 2020. Agora, relendo o texto que nunca fora publicado, percebemos que erramos feio, erramos rude!

Falávamos sobre como mais um ano passaria voando, uma vez que teríamos muitas datas para trabalhar no varejo, além de eventos importantes como os Jogos Olímpicos e as Eleições.

Não temos bola de cristal, óbvio! Então veio a pandemia do Corona vírus e o mundo todo pisou no freio. De repente a velocidade não é o mais importante, mas o modo como estamos trabalhando a cada passo, em cada movimento de adaptação.

As redes sociais tornaram-se os canais mais importantes para a comunicação com o cliente e os aparelhos celulares se tornaram janelas para o mundo. Tudo o que você consome ou precisa está no mundo digital, como um catálogo para realizar seus desejos e sanar suas necessidades na quarentena.

É através de uma tela que o seu consumidor tem acesso ao conhecimento, à diversão e, principalmente, aos produtos essenciais, à alimentação e tantos outros serviços que, antes, dependiam do carro ou da condução. Era só “passar lá” e trazer para casa.

Esta mudança no paradigma mundial separou o joio do trigo e, simplesmente do nada, criou um cenário instável que demandou muitas mudanças, mesmo no dia a dia de quem nunca mais saiu de casa.

Percebemos que “bom” de hoje talvez não exista mais amanhã. E a única forma de sair vivo desse cenário é fazer melhor dentro das suas possibilidades. Olhamos para o dia e dia, para o que temos acesso dentro cada um e dentro de casa: seus talentos, seu diferencial, sua história e o que é essencial à sua vida.

Sim, notamos que muitos dos negócios que estão se destacando têm um DNA forte. Trazem ligação estreita e representativa com os seus clientes, com o bairro e com a sua região.

Um produto com característica artesanal e única passou a se destacar diante das gondolas inacessíveis dos supermercados. O sentimento e a sensação passaram a importar muito mais do que o preço baixo e suas filas quilométricas.

A palavra de ordem é PERTENCIMENTO. O processo de compra entrou num momento mais emocional e, por isso, menos tangível. Não é só o que você produz, mas como produz. Não é só o que vende, mas quem vende e como vende.

Consumidores que defendiam marcas agora olham para marcas que estendem suas mãos para ajudar verdadeiramente seus consumidores. E, principalmente, quem nunca teve acesso aos seus produtos.

Todos nos sentimos responsáveis pelo nosso ecossistema econômico e produtivo. Agora, mais do que nunca, precisamos refletir sobre o impacto de cada atitude no ambiente ao nosso redor. Desde lavar as próprias mãos até a responsabilidade social das marcas que consumimos, tudo reflete o impacto das nossas ações sobre nossa própria fragilidade.

“Quem são os nossos consumidores?” ressignificou o questionamento sobre quem são os nossos fornecedores.

Enfim, chegou a hora de olhar toda a cadeia que envolve sua empresa, sua loja, seu projeto e convidá-la a remar junto com você.

Muitos têm afirmado que estamos na mesma tempestade e não no mesmo barco. O momento é difícil para todos e as perspectivas de melhora ainda parecem muito distantes.

Aproveite a oportunidade e coloque mais gente no seu barco: reflita junto com a sua equipe, com seus parceiros e com seus fornecedores para redefinir prazos, parcerias e facilitar o acesso aos seus produtos e serviços.

Escute o seu consumidor, converse com ele e busque oportunidades.

São tempos difíceis. Mas, com toda certeza, cada um de nós vai lembrar de quem nos estendeu a mão. Juntos, seguiremos firme e seguiremos em frente.

Conte com a Agência.bit para repensar e ressignificar o seu negócio. Agora é a hora de fazermos isso juntos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *