Como funcionará a dinâmica do consumo no pós-crise?

Muitas cidades estão reabrindo seus comércios e de certo modo trabalhando com um exercício de futurologia, olhando para os mercados externos e tentando entender como serão o futuro do trabalho e do consumo pós-crise.

Alguns setores têm buscado a criação de novos protocolos para o retorno de seus negócios físicos e, outros, preveem a necessidade de alterar totalmente sua forma de atuação.

Já falamos sobre vendas on-line como uma realidade que veio para ficar e, hoje, vamos falar sobre os novos hábitos de consumo.

Independente da área, o que observamos é que o novo consumidor está mais atento ao processo de compra como um todo. Questões até então irrelevantes ganharam nova perspectiva, tais como o processo de produção armazenamento, manuseio etc. E, de certa forma, isso altera o processo no funil de vendas do cliente também para produtos tangíveis.

Compras de baixo valor, que normalmente demandavam menos informação, entraram também neste ciclo. Produtos antes tangíveis agora competem com soluções digitais, que ganham na facilidade pela qual podem ser descritos e compreendidos pela internet.

E como ajudar no processo decisório de consumo neste momento?

O melhor caminho é refazer os passos do cliente para entender os pontos onde podem ocorrer dificuldades de compreensão. Assim, é possível ajudá-lo no processo decisório e evitar que o potencial comprador perca o interesse.

Mas para lojas físicas também é fundamental refazer o passo a passo do cliente: desde o momento no qual a pessoa entra no espaço até sua saída da loja, é preciso reavaliar possíveis melhorias para a segurança e saúde de todos.

Itens como álcool gel, máscaras, protetores para os funcionários, entre outros, passam a fazer parte dos equipamentos de segurança do trabalho e EPIs, nessa nova realidade. Com certeza diversos protocolos anteriormente impensáveis serão observados com mais cuidado por empresas e usuários.

Voltando às compras online, a competição com produtos físicos tem obrigado algumas empresas a criar manuais e e-books informativos, para explicar aos novos consumidores como funcionam seus produtos e soluções.

E desde o primeiro contato com a empresa, estar próximo o suficiente do cliente para extinguir quaisquer dúvidas através dos canais de comunicação, seja pelo WhatsApp, redes sociais ou até mesmo um chat no seu site ou e-mail, se tornou essencial para que a barreira do virtual possa competir com os produtos e lojas físicas.

De fato, o futuro chegou de forma muito diferente do que imaginamos.

Novos dias, novas ideias e, com certeza, a contínua busca pela inovação e pelo sucesso farão parte do futuro do consumo.

Você já repensou o seu negócio hoje?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *